Hoje falaremos de um assunto que é frequentemente solicitado aqui no blog: a acne. Além de sempre me solicitarem este assunto, eu sofri particularmente com ela na adolescência e ainda hoje, às vezes ela vem me atormentar.

Vou fazer um relato pessoal. Um dia eu pensei em como fazer docinho para vendere aumentar a minha renda, porém logo lembrei do meu rosto e o preju comendo.

A acne em mulheres após a adolescência é muito comum e é preciso identificar as causas e tratá-las. Primeiramente, abordaremos a definição e as manifestações clínicas da acne e posteriormente falaremos sobre suas consequências e  tratamento.

Acne vulgar ou juvenil é uma doença da pele. A sua frequência é maior na adolescência – notadamente no sexo masculino – quando o nível elevado de hormônios sexuais causa o aumento da secreção de sebo pelas glândulas sebáceas.

Mas não é exclusividade destes, sendo cada vez mais comum o aparecimento de acne em mulheres adultas, por vários motivos, sendo que os principais são a flutuação hormonal feminina e o uso inadequado de cosméticos e maquiagem.

Além disso, a hereditariedade e o stress também podem ser fatores de desencadeamento da acne, o que explica porque ela sempre aparece às vésperas de datas importantes para nós ou quando dormimos mal, nos alimentamos incorretamente ou ficamos muito ansiosos.

 Manifestações clínicas

concept skincare. Skin of beauty young woman with magnifier before and after the procedure on a white background

A acne é caracterizada pelo aumento de secreção de sebo pelas glândulas sebáceas, em conjunto com o acúmulo de células mortas no orifício do folículo pilossebáceo, obstruindo o poro da pele e dando origem aos comedões abertos (cravos pretos) ou comedões fechados (cravos brancos).

Isto impede a saída de sebo pelo orifício. O acúmulo de sebo libera algumas substâncias que irritam a pele, causando inflamação, e é um meio propício para as bactérias se desenvolverem – entre elas a Propionibacterium acnes e aStaphylococcusepidermides.

As lesões da acne surgem, na maioria dos casos, no rosto, mas também podem surgir, embora com menor frequência, nas costas, peito, ombros e braços.

Em seu processo de desenvolvimento a acne adquire diversas formas, representadas a seguir em grau de desenvolvimento e gravidade:

  • Seborréia: é o excesso de secreção sebácea que ocorre no rosto e tronco. A pele se torna oleosa e brilhante e com aparente dilatação do orifício de saída do folículo pilossebáceo. Ainda que as pessoas que desenvolvem a doença produzam maior quantidade de sebo que os não afetados, a intensidade da acne nem sempre está relacionada com a intensidade de seborréia.
  • Comedão (acne grau I): é a lesão mais característica da acne. O comedão fechado é de difícil visualização, sendo uma elevação cutânea de cor embranquecida ou amarelada (cravo branco). O comedão aberto costuma não ser elevado. No entanto, pode se apresentar como uma pequena elevação dura de cor preta, devido à oxidação da superfície do sebo (cravo preto). Também conhecida como acne comedônica.
  • Pápula (acne grau II): é a inflamação do comedão, que se torna avermelhado e aumenta de tamanho de 1 a 4 milímetros. É dolorosa e se desenvolve principalmente do comedão fechado. O comedão aberto se inflama quando manipulado sem cuidados com a limpeza da pele e das mãos.
  • Pústula (acne grau III): É a evolução da pápula, com elevação da pele em uma bolsa de pus de profundidade variável, acompanhada de coceira e dor. O agente mais comum neste processo infeccioso é a P. acnes e a S. epidermides. Nos graus II e III a acne é conhecida como pápulo-pustulosa.
  • Nódulo (acne grau IV): é uma lesão profunda, coberta por pele normal que evolui até a inflamação e termina com a formação de cicatrizes. Também é conhecida como acne conglobata, já que são lesões císticas grandes, inflamatórias, que se intercomunicam por sob a pele.
  • Cicatriz: as cicatrizes podem ser atróficas, hipertróficas ou queloides. Os quelóides se apresentam como inchaços bem delimitados, porém de formato irregular de cor rosa a vermelho escuro. É chamada ainda de acne queloideano.

O diagnóstico é clínico sendo que a consulta médica, normalmente, é suficiente. Casos mais complexos requerem a opinião de especialistas.

Em breve conversaremos sobre prevenção e tratamento da acne para evitarmos as lesões que podem ser mais preocupantes que a própria acne.

E então, o que vocês acharam do post? Gostaram? Então não se esqueçam de clicar em “curti” e compartilhar nas redes sociais, ok?  Espero você aqui mais vezes.